Quem sofre eventual ou continuamente com a prisão de ventre deve ingerir muita água nos intervalos das refeições e consumir alimentos naturais com efeito laxante. Os indicados são abacate, ameixa, figo, mamão, manga e sementes, além de leguminosas, verduras e legumes

Também chamada de constipação ou obstipação, a prisão de ventre é causada por algum distúrbio intestinal, desequilíbrio das bactérias intestinais, baixo consumo de fibras, baixa ingestão de água, medicamentos ou alguma doença intestinal. E esse desconforto pode acabar com o dia ou a noite de uma pessoa.

“A prisão de ventre pode atrapalhar o raciocínio, a absorção de nutrientes, afeta o humor, entre outros problemas”, ressalta a nutricionista Cynthia Maureen.

Segundo ela, esse desequilíbrio pode acontecer com qualquer um: “Em geral, a alimentação, o consumo de água e o exercício físico conseguem melhorar o trânsito intestinal, mas se for por outras causas, talvez seja necessário tomar medidas específicas, de acordo com orientação médica”.

“O ideal é consumir bastante água nos intervalos das refeições e alimentos com efeito laxante como: abacate, mamão, ameixa, manga, figo, sementes (chia, linhaça, entre outros), cereais integrais (aveia, arroz integral, quinoa, etc.), leguminosas (feijão, ervilha, entre outras), verduras e legumes.”

Combinações

“Os alimentos que mais contribuem para o funcionamento do intestino são justamente os naturais, que não demandam tanto tempo no preparo: frutas, verduras, legumes, integrais e sementes contribuirão fortemente.”

Em entrevista à revista A Lavoura online, Cynthia também destaca a importância de combinar os variados tipos de alimentos durante o dia, com equilíbrio, com o intuito de favorecer o funcionamento intestinal.

Quem vive o dilema de não poder se alimentar em casa, por falta de tempo, ela sugere optar pelo simples e natural. “Os alimentos que mais contribuem para o funcionamento do intestino são justamente os naturais, que não demandam tanto tempo no preparo: frutas, verduras, legumes, integrais e sementes contribuirão fortemente.”

Ela ainda lembra que “o consumo de alimentos refinados e industrializados deve ser evitado, para não piorar a prisão de ventre”.

De olho no verão

Quanto o período das estações do ano, Cynthia lembra que no verão, por exemplo (e como é o caso, agora), “nosso corpo tende a se desidratar, o que pode prejudicar o funcionamento do intestino”.

“Nesse caso, abuse do consumo de água, consuma frutas com alto teor de líquido como a melancia, melão, laranja, abacaxi, etc. Os sucos devem ser usados com moderação, devido à quantidade de frutose que neles contém e os refrigerantes devem ser abolidos.”

Dicas da nutricionista

Consultora da Superbom, empresa alimentícia especializada na fabricação de produtos saudáveis, a nutricionista Cynthia Maureen dá dicas de alguns alimentos que ajudam na digestão e podem prevenir distúrbios intestinais.

Beba muita água

Água hidrata o corpo e colabora para que os órgãos digestivos trabalhem melhor. Foto: Divulgação

A especialista reforça aquilo que muitas pessoas já sabem: ingerir água pura faz bem à saúde. “Beber muita água durante o dia é importante para a hidratação corporal, mas também para que os órgãos digestivos trabalhem melhor.”

“Além dos alimentos naturais compostos por fibras, a água também é essencial para a formação do bolo fecal e facilita os movimentos peristálticos.”

Frutas secas

Cynthia também indica o consumo de frutas secas, por serem “ótimas para a reposição de vitaminas e nutrientes e por apresentarem uma concentração maior de fibras”. “Portanto, são excelentes para estimular nossas funções intestinais.”

Granola

Com aveia, castanhas e uvas-passas em sua composição, a granola também é indicada por ser abundante em fibras solúveis e insolúveis, que auxiliam no bom funcionamento do intestino. “As granolas ainda podem ser consumidas com iogurte e frutas”, reforça Cynthia. A dica, no caso, é não exagerar por causa das calorias!

Massas integrais

Orientação é trocar o pão branco pelo integral, que contém mais fibras. Foto: Divulgação

“Quem disse que pãezinhos não podem fazer parte de uma dieta saudável? Para quem não consegue abandonar essa delícia, a dica é trocar pães brancos pelos integrais, que contêm mais fibras na massa”, recomenda a nutricionista.

Outros tipos de massas, além dos pães, também “podem ser consumidos em sua forma integral, como macarrão, bolos e biscoitos, mas sempre com moderação, evitando os excessos”.

Oleaginosas

De acordo com a especialista, as oleaginosas são fortes aliadas da pele, cabelo e unhas, além de serem fontes de gorduras boas e vitaminas.

“Elas são perfeitas para um lanchinho entre as principais refeições e podem dar um toque especial às saladas, risotos e iogurtes”, sugere.

São oleaginosas: amêndoa, avelã, castanha de caju, castanha-do-Pará (ou do Brasil), nozes, pistache, entre outras.

Por Marjorie Avelar

Especial para Revista A Lavoura, com informações da Superbom