Iniciativa do MapBiomas, Instituto Energia e Meio Ambiente e Instituto Escolhas, Prêmio MapBiomas visa reconhecer pesquisadores de todas as idades e níveis educacionais, que geram conhecimento sobre as mudanças do uso da terra no Brasil. Foto: Divulgação

Qual é o impacto das obras de infraestrutura? Como projetos de produção de energia afetam a cobertura florestal no Brasil? Qual a relação entre o desmatamento e a construção de estradas ou ferrovias?

Uma iniciativa conjunta da rede de instituições do MapBiomas, do Instituto Energia e Meio Ambiente (Iema) e do Instituto Escolhas com apoio do Instituto Clima e Sociedade irá premiar os melhores trabalhos para responder questões como essas. Trata-se do Prêmio MapBiomas, que vai eleger os melhores estudos sobre a relação entre obras de infraestrutura de energia ou transportes e alterações no uso do solo.

Podem concorrer trabalhos individuais ou em co-autoria, estudantes de escolas de nível técnico, graduação, pós-graduação, profissionais, entre outros. Serão aceitos estudos, artigos, monografias dissertações ou teses.

O prêmio tem duas categorias: Jovem, para trabalho cujo autor principal tenha até 30 anos e ainda não completou a graduação ou se graduou ao longo de 2018; e Geral, em que podem concorrer trabalhos independentemente da idade e nível de escolaridade do autor principal.

Ao todo serão premiados quatro trabalhos, com valores de R$ 3 mil a R$ 10 mil. As inscrições estão abertas até o dia 31 de janeiro de 2019.

“Os trabalhos podem ser centrados em um projeto ou em uma obra específica”, informa Tasso Azevedo, coordenador-geral do MapBiomas, que acrescenta: “Pode ser uma análise de um determinado modal. Ou um corte territorial. Até mesmo uma pesquisa de cenários. É possível concorrer com  trabalhos inéditos ou que tenham sido publicados a partir de 2017”.

Séries históricas

Os trabalhos precisam usar as séries históricas de uso e cobertura da terra no Brasil, com dados ou citação do projeto MapBiomas. O MapBiomas (Projeto de Mapeamento Anual da Cobertura e Uso do Solo do Brasil) é uma iniciativa conjunto de dezenas de universidades, ONGs e empresas de tecnologia.

Juntas, elas geram a maior base de dados do país sobre uso da terra e alterações nos biomas. Na plataforma do MapBiomas é possível analisar os dados de cobertura e uso da terra por diversos recortes territoriais como estados, biomas, municípios, bacias hidrográficas e áreas protegidas.

Recentemente, foram inseridas informações de infraestrutura de transporte e energia para observar as mudanças de uso do solo no entorno (5, 10 e 20 quilômetros) de estradas, ferrovias, portos, aeroportos, usinas, linhas de transmissão, etc.

“A iniciativa contribui para estimular estudantes e jovens profissionais a se dedicar a uma questão ainda não adequadamente compreendida – os impactos, ao longo do tempo, no uso do solo e na cobertura vegetal, decorrentes de grandes de obras de infraestrutura de energia e transporte”, diz André Ferreira, diretor presidente do Instituto Energia e Meio Ambiente (Iema).

“O Prêmio MapBiomas quer encontrar e dar visibilidade a estudos e pesquisadores de todas as idades e níveis educacionais que estão produzindo conhecimento sobre as transformações no território brasileiro”, diz Jaqueline Ferreira, coordenadora Instituto Escolhas.

Conhecimento enriquecido

Para o coordenador-geral do MapBiomas, o prêmio enriquece do conhecimento para o desenvolvimento sustentável no País. “O prêmio visa estimular a reflexão e a análise sobre a relação entre a infraestrutura de energia e transporte com a dinâmica de mudança de cobertura e uso do solo no território brasileiro”, diz Azevedo.

“Esperamos que esses estudos e conhecimentos possam contribuir para a aplicabilidade em políticas públicas e planejamento do território brasileiro”, complementa.

Mais informações sobre o Prêmio MapBiomas estão disponíveis no site do MapBiomas: www.mapbiomas.org/premio. Dúvidas e esclarecimentos pelo e-mail premio@mapbiomas.org.

Fonte: MapBiomas